Educação politizada e transformadora - Jornal de Colombo

Educação politizada e transformadora

Um bom plano de governo é aquele que prioriza a EDUCAÇÃO. Isso mesmo! Não só porque fazemos parte da melhor categoria que existe, e sim porque formamos as pessoas para o pleno exercício da cidadania, como prevê a LDB 9394/96 (Lei de diretrizes e Bases da Educação Nacional). A educação tem um impacto gigantesco na

Um bom plano de governo é aquele que prioriza a EDUCAÇÃO. Isso mesmo! Não só porque fazemos parte da melhor categoria que existe, e sim porque formamos as pessoas para o pleno exercício da cidadania, como prevê a LDB 9394/96 (Lei de diretrizes e Bases da Educação Nacional).

A educação tem um impacto gigantesco na atuação do ser humano na sociedade. E quando ofertada com qualidade e com significado, ela reflete em todos os aspectos humanos. Se de fato educássemos cidadãos e não alunos, não precisaríamos nos preocupar e nos angustiar tanto com segurança pública, com filas e lista de espera em hospitais, com a pobreza, entre outras características pelas quais, lamentavelmente, nosso país é destacado e conhecido. 

Porque devemos levantar e defender essa bandeira? Porque precisamos consolidar uma “Educação Transformadora”. Isso não é uma utopia. É uma questão de prática e entusiasmo. Isso ocorre quando entendemos o nosso papel na sociedade enquanto professores. Ensinar deve ser uma prática pela qual deve fazer sentido na vida das crianças e famílias. Ensinar sobre alimentação saudável, por exemplo, diminuirá problemas e doenças no corpo físico refletindo na diminuição da procura por hospitais, refletindo também na saúde mental e qualidade de vida. Ensinar sobre ética e valores refletirá na segurança pública, nos índices de violência e racismo.  Educação financeira refletirá no consumo consciente, na boa administração das famílias. Educação para o trânsito formará adultos conscientes e diminuirá acidentes.  E o que dizer sobre a Educação Ambiental? Já parou para pensar no planeta que você está deixando para seus filhos?  E política? Porque não ensinar nossas crianças desde cedo a diferenciar o caráter, o que é certo e o que é errado, o que é justo e o que é injusto. Para quê votar? Em quem votar? Como votar? O que é um voto? O que é um plano de governo? Onde acessá-lo? Qual é o papel de cada um? 

Isso é só uma introdução genérica do que é ensinar para o pleno exercício da cidadania. Há uma amplitude de conceitos, temas, assuntos no nosso currículo. Desenvolvemos tantas coisas… Ensinamos tantas coisas… E mesmo assim continuamos alienados. 

Por isso, não podemos esquecer a função principal da escola que é formar cidadãos conscientes, e não apenas cumprir o que está no currículo. Na escola não temos alunos e sim pequenos cidadãos. E nossa função enquanto professores e escola são formá-los para tal.  

Projetos políticos e políticas educacionais precisam ser conhecidos e avaliados. Assim, discursos genéricos não poderão mais nos iludir. Toda decisão que ocorrer no campo educacional vai ter conseqüências positivas ou negativas em outros campos como a saúde, segurança pública, meio ambiente, cultura, etc… Qual é o sentimento patriótico que você tem? Qual concepção você tem sobre Educação e Política? Se não tenho domínio, não tenho entusiasmo para ensinar e menos ainda para praticar. Deixemos as frustrações de lado e lutemos pela democracia e cidadania já conquistada. Como dizia nosso saudoso Paulo Freire: “Educação não transforma o mundo. Educação muda as pessoas. Pessoas transformam o mundo”.

Suelen Prestes Coutinho do Nascimento
Professora da Educação Básica e Pedagoga, pesquisadora em Alfabetização e letramento com ênfase na Formação de Professores. Atualmente é Coordenadora Pedagógica da Educação Infantil – 4 e 5 anos – do CMEI Espaço da Criança.

Posts