Visita ao passado - Jornal de Colombo

Visita ao passado

Na próxima semana ficaremos alguns dias longe da escola e do trabalho porque comemora-se o dia de Finados, feriado nacional. Independente de como cada um vive essa data em sua casa, independentemente de suas crenças e costumes, é bom pararmos para pensar na nossa relação com o passado. História é uma disciplina importante que nos

Na próxima semana ficaremos alguns dias longe da escola e do trabalho porque comemora-se o dia de Finados, feriado nacional. Independente de como cada um vive essa data em sua casa, independentemente de suas crenças e costumes, é bom pararmos para pensar na nossa relação com o passado.

História é uma disciplina importante que nos ajuda a entender o presente e a nos

prepararmos melhor para o futuro. Por isso, na escola, ao longo dos anos estudamos história da cidade, do estado, do país e do mundo. Aprendemos sobre personalidades importantes para o desenvolvimento dos acontecimentos. Mas, e nossa própria história? Quais são as personalidades importantes da nossa vida?

É importante ensinar a criança a pensar sua relação com o passado familiar, que é o que forma nossa história pessoal, nossa identidade e individualidade. Somos o que somos porque houve um passado que nos construiu e nos trouxe até aqui.

Por isso é bom que os pequenos convivam com memórias familiares de outros tempos, através de relatos orais e fotografias, ou objetos de memória (aquele colar que foi da bisa, o chapéu que foi do tio-avô, etc.). Se as crianças têm o privilégio de ter os avós devemos incentivar o compartilhamento de seus relatos, para que os pequenos adquiram consciência sobre o que havia antes e hoje é diferente, mudanças sociais, econômicas, espaciais (e aqui sempre acabamos recorrendo ao famoso “no meu tempo era tudo mato” não é mesmo?). E, embora nem sempre eles gostem de ouvir isso, é um aprendizado único que só a família pode proporcionar.

Geralmente nossas histórias são de mudanças e movimentos, sempre tem aquele familiar que migrou, aquele ancestral que veio de outro lugar, de outra língua, outra cultura… aquele que precisou de coragem para tomar decisões… pessoas que passaram por experiências que merecem ser contadas, e que sem dúvida foram importantes para o momento em que a família vive hoje, com seus costumes e crenças.

Tem uma música muito bonita do cantor e compositor uruguaio Jorge Drexler chamada “Movimiento”. Ela diz que somos uma espécie em constante viagem, que não temos pertences, temos bagagem. Estamos em constante movimento e todos temos uma história. Que tal compartilhar a sua bagagem com seus filhos neste feriado? Muitas vezes esse é o primeiro passo para entendermos nossas inquietudes, curar nossas feridas e sentirmos orgulhosos de quem somos.

Daiane Pereira Rodrigues é colombense, mestre em Letras pela UFPR, professora de português no Colégio Le Savant e também professora e tradutora de espanhol. Escreve e inventa histórias desde criança e já ganhou o prêmio de jovens escritores da fundação Maria de Paula de Ruiz Martínez em Madri, na Espanha.

Posts