Feirantes de Curitiba doam 1,5 tonelada de alimentos não perecíveis - Jornal de Colombo

Feirantes de Curitiba doam 1,5 tonelada de alimentos não perecíveis

Feirantes de Curitiba doam 1,5 tonelada de alimentos não perecíveis

Feirantes de Curitiba entregaram nesta sexta-feira, 8, aproximadamente 1,5 tonelada de alimentos não perecíveis para o programa Mesa Solidária da Prefeitura local, que usará os produtos nopreparo dos lanches distribuídos a pessoas em situação de rua. A ação já havia sido lançada no fim de 2019 e é uma ação conjunta da Secretaria Municipal de Segurança Alimentar e

Feirantes de Curitiba entregaram nesta sexta-feira, 8, aproximadamente 1,5 tonelada de alimentos não perecíveis para o programa Mesa Solidária da Prefeitura local, que usará os produtos nopreparo dos lanches distribuídos a pessoas em situação de rua. A ação já havia sido lançada no fim de 2019 e é uma ação conjunta da Secretaria Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (SMSAN), Fundação de Ação Social (FAS) e Secretaria Municipal de Defesa Social, que cedem espaços e apoio logístico, com instituições religiosas, organizações não-governamentais (ONGs) e movimentos de apoio às pessoas em situação de rua, que adquirem, preparam e servem os alimentos.

“Apesar da queda das vendas dos feirantes durante a pandemia, eles tiveram a solidariedade despertada e se uniram para fazer a aquisição dos itens”, disse o secretário municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, Luiz Gusi.

As marmitas e lanches do Mesa Solidária são servidos gratuitamente, no contraturno, nos restaurantes populares do Capanema (das 19h às 21h) e da Matriz (das 16h às 18h). O atendimento é feito por equipes da Prefeitura e voluntários das 30 instituições parceiras. Atualmente, são servidos 750 lanches e marmitas diariamente para pessoas em situação de rua.

Além disso, a partir da próxima terça-feira, 12, comerciantes das feiras da capital também vão participar de um projeto piloto de doação de hortifrutigranjeiros para o Mesa Solidária. Nele, hortaliças, legumes e verduras que perderam o padrão comercial assim como folhas e talos descartados pelo consumidor na hora da compra, mas que são muito ricos em nutrientes, serão destinados para doação. O projeto-piloto começa pela Feira do Rebouças, que ocorre todas as terças, das 7h às 11h30, na Rua Nunes Machado. “Precisamos entender que alimento não é lixo. Não podemos jogar comida fora enquanto tanta gente passa fome”, completou o secretário. 

 

Posts