Curitiba implanta Pirâmide de Energia Solar em antigo aterro sanitário - Jornal de Colombo

Curitiba implanta Pirâmide de Energia Solar em antigo aterro sanitário

Curitiba implanta Pirâmide de Energia Solar em antigo aterro sanitário
Greca assina ordem de serviço para implantação da Pirâmide Solar do Caximba.(Foto: Divulgação/PMC)

No dia 18 de fevereiro, em uma solenidade híbrida no Palácio 29 de Março, o prefeito Rafael Greca assinou uma ordem de serviço para a construção de uma pirâmide solar no antigo aterro sanitário do bairro Caximba, em Curitiba.

Símbolo dos programas de energia renovável em Curitiba, a implantação da Pirâmide Solar do Caximba começa nesta semana. O investimento contabiliza R$ 28,7 milhões, representando uma economia de 24% em relação ao orçamento primário do projeto.

“Queremos acordar o Brasil para a importância das novas energias”, disse o prefeito Rafael Greca, ao lado da secretária municipal do Meio Ambiente, Marilza do Carmo Oliveira Dias, e do diretor da empresa vencedora da licitação da Pirâmide Solar, Marcelo Abuhamad Filho.

Confira! Fomento Paraná estimula o financiamento e produção de energia limpa

“Com esse projeto, transformamos um passivo ambiental em usina geradora de energia renovável. E, ainda, estimulamos a população a buscar fontes menos poluentes de energia”, ressaltou a secretária Marilza do Carmo.

O programa Curitiba Mais Energia é uma das estratégias da cidade para combater as mudanças climáticas. O programa inclui, ainda, a instalação de painéis no Palácio 29 de Março, no Salão de Atos do Parque Barigui e na Galeria das Quatro Estações, do Jardim Botânico. Além da CGH Nicolau Klüppel, que gera energia a partir da queda d’água do Parque Barigui.

Com mais de 10,5 mil painéis fotovoltaicos, a usina do Caximba terá potência de 4,55 MWp de geração de energia. Obras de implantação de painéis solares nos terminais Santa Cândida 465KWp, Boqueirão (512KWp) e Pinheirinho (925KWp) foram aprovadas na segunda fase.

De acordo com a Prefeitura, ainda neste semestre Curitiba iniciará a terceira etapa de obras, visando a implantação de sistema fotovoltaico no telhado da Rodoferroviária de Curitiba (1.530 KWp), com orçamento previsto de R$ 9.902.231,10.

Juntos os sistemas terão capacidade instalada de 8.012 KWp (ou 8,01MWp) e devem suprir mais de 40% do consumo de energia do município. Nos cinco sistemas, considerando os valores orçados e o valor da obra contratada para o aterro, o investimento total é de R$ 59,2 milhões.

Ainda segundo a Prefeitura, o retorno previsto dos investimentos em cada empreendimento, com a economia nas contas de energia, deve acontecer em um prazo inferior a dez anos.

Leia também: Governo introduz colmeias de abelhas sem ferrão nos parques urbanos

_

Posts