Desafios em tempos de pandemia - Jornal de Colombo

Desafios em tempos de pandemia

Desafios em tempos de pandemia
(Foto: Reprodução/Google)

Artigo de Opinião

Olá, caro leitor! Sou Adriana C. Antunes da Cruz, professora da primeira etapa do Ensino Fundamental, com especialização em psicopedagogia clínica e institucional e educação especial.

Atuei por 30 anos nos equipamentos da Prefeitura Municipal de Curitiba, entre eles, escolas, centro de educação infantil, núcleo regional Boa Vista e Secretaria Municipal da Educação como gestora regional do Programa Comunidade Escola, FAS, Educação de Jovens e Adultos,Escola Especial e Centro Educacional de Atendimento Especializado na área auditiva.

Minha trajetória nesses trinta anos no ensino e na educação especial marcaram em mim a “paixão” pela infância e pelo desenvolvimento cognitivo, emocional e social e tudo que implica nas dificuldades de cada sujeito a partir de sua singularidade.

Vou estar em alguns momentos por aqui para fazer uma interlocução com você, cidadão colombense. Vamos dialogar sobre temas que possam contribuir com a educação, com pais e cuidadores, com instituições de ensino e sobre questões do tempo em que vivemos. Inicio meu diálogo com você pensando nos desafios em tempos de pandemia. Boa leitura!

Há mais de dois anos, o mundo vem enfrentando uma das maiores crises sanitárias já ocorridas nos últimos tempos. Se pensarmos na sociedade como um “corpo vivo”, esse tempo pandêmico nos tem aberto inúmeras sequelas emocionais, físicas e sociais. Em muitos campos, o modo de operar teve que ser adaptado a fim de assegurar a preservação da vida humana. A escolarização e a socialização estão entre os “nós” que nos desafiam a cada dia. A escola mudou sua “cena”, passando do presencial para o virtual. As interações mudaram abruptamente, distanciando fisicamente a todos. As ferramentas e as estratégias de ensino e aprendizagem mudaram sua “roupagem” e sem dúvida e educação vem fazendo o seu melhor papel diante de tantos desafios.

Agora, estamos num tempo de retorno ao ensino presencial e caberá às diferentes áreas científicas buscar saídas para um déficit social e acadêmico, considerando que nem todas as crianças e estudantes adaptaram-se ao ensino remoto. Nunca tivemos tanta urgência de unirmos forças para superarmos as marcas do corpo e das emoções. Neste contexto, espaços de trabalho clínico na área da psicopedagogia que, junto e em parceria com as instituições educacionais e as famílias, poderão minimizar os efeitos de um tempo tão desafiador e delicado.

Se você tem interesse pelo tema e quer se aprofundar mais no assunto, então eu me coloco à disposição através do e-mail dritiba4@gamil.come do telefone(41) 92001-7332. Vejo vocês na próxima semana!

Posts