Rodízio de água é suspenso em Curitiba, mas continua em Colombo - Jornal de Colombo

Rodízio de água é suspenso em Curitiba, mas continua em Colombo

Rodízio de água é suspenso em Curitiba, mas continua em Colombo
Racionamento se mantém ampliado na região de Colombo.(José Fernando Ogura/AEN)

Rodízio de água continua a ser mantido nas regiões de Colombo que são abastecidas por poços.

A Sanepar (Companhia de Saneamento do Paraná) anunciou nesta quinta-feira (3) que o nível geral dos reservatórios que compõem o Sistema de Abastecimento de Água Integrado de Curitiba (Saic) atingiu 84,81% de sua capacidade total, finalizando o rodízio de água em Curitiba.

No dia 19 de janeiro, em entrevista coletiva no Palácio Iguaçu, a empresa garantiu que não existe risco de racionamento de água para este ano. Contudo, caso haja a ocorrência de uma nova estiagem severa, a implantação do rodízio no abastecimento pode voltar a ocorrer.

A boa notícia, no entanto, não é para todos. Dos 346 municípios atendidos pela companhia, apenas Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, continua com o racionamento de água.

De acordo com a companhia, o motivo do racionamento que atinge 20% da cidade, deve-se ao fato de que esta não é uma área abastecida pelas barragens do sistema Saic e, sim, por poços do Aquífero Karst, que ainda estão com vazão reduzida devido a última estiagem.

Os bairros Butiatumirim, Fervida, São João, Santa Gema, Cercadinho, Serrinha, Itajacuru, Parque Embu, Arruda, Santa Tereza, Jardim Florença, Gabirobal, Uvaranal, Sapopema, Curitibano, Santa Fé, São Gabriel, Ana Rosa e Roça Grande, continuam no rodízio.

Conforme a tabela de grupos do rodízio, alguns dos distritos colombenses  citados acima seguirão com o rodízio até o dia 13 de março, porém, as variáveis do racionamento de água são os níveis de chuvas, de consumo e temperatura, fatores que a Sanepar ressalta não ter controle.

EM BUSCA DE RESPOSTAS

O vereador de Colombo, Anderson Prego, encaminhou no dia 22 de fevereiro o ofício nº 048/2022, no qual solicita explicações a respeito da continuidade do rodízio no fornecimento de água pela Companhia Paranaense de Saneamento, mesmo após quase dois anos.

“Uma empresa que presta um serviço público de tamanha importância como é a Sanepar, deveria prestar informações de forma mais transparente à população, bem como tem por obrigação empenhar esforços para resolver os problemas que atrapalham o atendimento com eficiência”, destacou o vereador.

Anderson justifica que é pertinente saber, neste contexto, quais parâmetros indicam a necessidade de manter o rodízio no fornecimento de água em Colombo; quais fatores são necessários para que o abastecimento volte a acontecer sem interrupções; e quais estratégias e ações a Sanepar estão empregando para que o abastecimento volte à normalidade.

Não foram divulgadas até o momento notas da empresa em resposta ao ofício do vereador.

Posts