Começa a corrida eleitoral pela Prefeitura de Colombo - Jornal de Colombo

Começa a corrida eleitoral pela Prefeitura de Colombo

Começa a corrida eleitoral pela Prefeitura de Colombo

No último domingo, 27, teve início oficialmente a campanha para as Eleições 2020. O pleito será o mais singular das últimas décadas, com a realização de uma campanha eleitoral majoritariamente digital, com poucos apertos de mão e uma expectativa de alta abstenção no dia da votação, marcada para 15 de novembro, domingo, feriado de Proclamação

No último domingo, 27, teve início oficialmente a campanha para as Eleições 2020. O pleito será o mais singular das últimas décadas, com a realização de uma campanha eleitoral majoritariamente digital, com poucos apertos de mão e uma expectativa de alta abstenção no dia da votação, marcada para 15 de novembro, domingo, feriado de Proclamação da República. Para o cargo de prefeito de Colombo, seis candidatos efetuaram registro na Justiça Eleitoral. Por ordem alfabética: Aline Neves (PSOL), Altair Caitano (PT), Helder Lazarotto (PSD), Joel Cordeiro (Podemos), Sergio Pinheiro (DEM) e Thiago de Jesus (MDB). De acordo com o sistema de Divulgação de Candidaturas e Contas Eleitorais do Tribunal Superior Eleitoral, as seis candidaturas aguardam julgamento. 

Perfil

Na disputa pela Prefeitura de Colombo, os seis candidatos possuem perfis bem distintos. De iniciantes na política a velhos conhecidos do eleitor colombense, não é possível dizer que não existem opções diversas.

A começar pelo atual vice-prefeito de Colombo, Sergio Pinheiro. O candidato do Democratas tem 45 anos, é casado, possui ensino superior completo e lidera a coligação Para Seguir em Frente (DEM, PP, PL, REDE, PTB, PTC e PDT), ao lado do vereador Angelo Betinardi. Pinheiro, aliás, também já foi vereador, eleito em 2012 e declarou ter um patrimônio avaliado em R$ 180 mil, composto por uma casa de aproximadamente 140m². Na proposta de governo enviada junto ao registro, um documento de 16 páginas, foram divulgadas as diretrizes e ideias do que Sergio Pinheiro pretende desenvolver à frente da gestão do município.

Já o candidato da oposição, Helder Lazarotto, do PSD (Partido Social Democrático), apresentou um documento de 33 páginas em que apresenta de forma geral ações de governo, antes de esmiuçar outras ideias em diferentes segmentos. Helder, de 59 anos, também é casado e tem ensino superior completo, e declarou um patrimônio no valor de pouco mais de R$ 777 mil, composto por um apartamento de 94m², um veículo e partes de uma herança. O ex-vereador e ex-secretário municipal de Saúde, forma a coligação Muda Colombo (Republicanos, PSL, PSC, PV e PSD), ao lado do vice Professor Alcione. 

Dispostos a aparecerem como terceira via, estão os candidatos Joel Cordeiro (Podemos) e Thiago de Jesus (MDB). Joel Cordeiro tem 49 anos, é administrador, tem ensino superior completo e já atuou politicamente como vereador. O candidato terá como vice o policial militar Fabio Amaral. Joel, que declarou bens no valor total de R$ 968 mil reais (cinco imóveis, um veículo e o capital social de uma empresa de imóveis), registrou sua candidatura com um plano de governo simplificado, distribuído em uma única página. 

Thiago de Jesus, por sua vez, encerra seu mandato como vereador almejando a cadeira de prefeito, ao lado de Alex Mildemberger, pelo MDB (Movimento Democrático Brasileiro). O edil tem 33 anos, é casado, possui o ensino médio completo e é dono de uma empresa de móveis, único bem declarado em seu registro como candidato, no valor de R$ 40 mil reais. Sua proposta de governo foi apresentada em um documento de onze páginas, com diretrizes divididas por áreas de atuação. 

Pelo PSOL (Partido Socialismo e Liberdade), temos Aline Neves como cabeça de chapa, sendo a única mulher candidata a suceder a atual prefeita Beti Pavin e mais jovem candidata, com apenas 27 anos. Aline é professora, tem ensino superior completo e não declarou bens em seu nome. Terá como candidato a vice o também professor Célio Beserra. A chapa do PSOL, que tem coligação com o PC do B (Partido Comunista do Brasil), registrou junto à candidatura um plano de propostas de governo, que contém 66 páginas, com uma análise do perfil do município de Colombo e propostas para as diversas áreas de atuação de uma prefeitura.

Por fim, pelo PT (Partido dos Trabalhadores), Altair Caitano se lança ao lado de Vando Gabre na disputa. Altair tem 46 anos, possui o ensino médio completo e atuou recentemente como assessor parlamentar do deputado estadual Tadeu Veneri. Em sua declaração de bens registrou um veículo no valor de R$ 52 mil reais, e em sua proposta de governo registrada, apresentou um documento de 19 páginas com diretrizes divididas por setores de atuação. 

Agenda de campanha

O início da campanha dos candidatos à Prefeitura de Colombo foi modesto. Por causa da pandemia, a sugestão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é de que os candidatos evitem aglomerações, comícios e até mesmo carreatas. A princípio, pelo que as páginas nas redes sociais mostram, os candidatos têm cumprido o pedido na medida do possível, registrando apenas poucas visitas a lideranças e aliados políticos, além da distribuição de conteúdos, como vídeos de campanha, filtros para serem usados pelos eleitores, entre outros materiais. 

Desistência

Na sexta-feira, 25, um dia antes do término do registro das candidaturas, o cenário político de Colombo recebeu a surpreendente notícia da desistência da chapa do Cidadania, encabeçada pelos empresários Plinio Schmidt e Paulo Coradin. Na reta final de pré-campanha a dupla optou por não fazer frente aos demais candidatos e passam a apoiar a chapa ligada ao Governo do Estado, formada por Helder Lazarotto (PSD) e Professor Alcione (Republicanos). Não houve pronunciamento oficial sobre a decisão. 

Filiação

Uma das situações inusitadas já ocorridas neste início de campanha teve como pivô Alex Mildemberger, o vice de Thiago de Jesus (MDB). A reportagem do Jornal de Colombo teve acesso a um documento da Justiça Eleitoral que afirma que Alex não estaria filiado ao MDB, estando ainda filiado ao Cidadania. De acordo com o candidato a vice-prefeito, tudo não passou de um mal entendido. “Foi apenas um erro de sistema. Estou filiado ao MDB dentro dos prazos legais. Já protocolamos as provas junto aos órgãos competentes. Estamos firmes no propósito em prol da cidade que nós, verdadeiramente, amamos”, afirmou Alex Mildemberger à nossa reportagem. 

Posts