Colombo recebe as primeiras doses da vacina da Pfizer - Jornal de Colombo

Colombo recebe as primeiras doses da vacina da Pfizer

Colombo recebe as primeiras doses da vacina da Pfizer

O município de Colombo foi uma das nove cidades escolhidas pela Secretaria de Estado da Saúde (SESA), além de Curitiba, para receber doses da vacina contra a Covid-19 fabricada pela farmacêutica Pfizer. Colombo vai receber 3.510 doses, que representam cerca de 9% do total de 39.780 doses recebidas pelo Paraná. O município de Curitiba já havia retirado

O município de Colombo foi uma das nove cidades escolhidas pela Secretaria de Estado da Saúde (SESA), além de Curitiba, para receber doses da vacina contra a Covid-19 fabricada pela farmacêutica Pfizer. Colombo vai receber 3.510 doses, que representam cerca de 9% do total de 39.780 doses recebidas pelo Paraná.

O município de Curitiba já havia retirado as doses no Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar) na semana passada e os demais municípios definidos recebem o imunizante a partir desta segunda-feira, 24.

Nesta remessa foram contempladas, além da Capital e de Colombo, os municípios de Ponta Grossa, Guarapuava, Foz do Iguaçu, Araucária, Campo Largo, São José dos Pinhais e Pinhais. A Secretaria de Estado da Saúde definiu a distribuição considerando a capacidade de armazenamento, conservação e aplicação dos imunizantes que exigem cuidados específicos. 

A vacina pode ficar armazenada entre 2º e 8ºC por até cinco dias, segundo o Ministério da Saúde, o que facilita a descentralização. Este intervalo possibilita que, seguindo os prazos corretos, a vacina seja aplicada com eficiência. No Cemepar elas ficam em ultrafreezers de -70°C, que é a exigência de armazenamento de longo prazo. “Nossas equipes estão em contato diário com as Regionais de Saúde e os municípios para verificar a distribuição da vacinas da Pfizer de acordo com a capacidade de cada cidade. Havendo sinal por parte das equipes municipais, o Estado descentralizará as doses para o maior número de cidades possível”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

A primeira remessa ficou apenas com Curitiba e a segunda seguiu também para Londrina, Maringá e Cascavel.

Posts