Colombo conta com Rede de Enfrentamento à Violência Doméstica - Jornal de Colombo

Colombo conta com Rede de Enfrentamento à Violência Doméstica

Colombo conta com Rede de Enfrentamento à Violência Doméstica

No último domingo, dia 8 de março, foi comemorado o Dia Internacional da Mulher, data que celebra as conquistas femininas nos últimos séculos, além de buscar conscientizar e aumentar o debate quanto a prevenção da violência contra as mulheres. Porém, o trabalho de conscientização e de proteção é diário em Colombo através de serviços fornecidos

No último domingo, dia 8 de março, foi comemorado o Dia Internacional da Mulher, data que celebra as conquistas femininas nos últimos séculos, além de buscar conscientizar e aumentar o debate quanto a prevenção da violência contra as mulheres. Porém, o trabalho de conscientização e de proteção é diário em Colombo através de serviços fornecidos pela Prefeitura Municipal por meio da Secretaria de Assistência Social em parceria com o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS). Juntos, formam a Rede de Enfrentamento à Violência Doméstica.

“Os diversos equipamentos de proteção básica seguem uma linha contínua, com esforços interligados e servindo igualmente como porta de entrada para as mulheres. Assim, as ações são mais efetivas e de maior abrangência”, detalhou Maria da Silva Souza, secretária da pasta. Segundo o Município, todos os atendimentos acontecem de modo sigiloso, garantindo a privacidade de cada mulher. Em 2019, cerca de 600 mulheres foram atendidas pela rede municipal.

Entre os serviços de apoio à mulher violentada estão os acolhimentos com escuta qualificada, orientações psicológicas, jurídicas e sobre a Rede de Enfrentamento à Violência Doméstica no município, eventuais encaminhamentos seguindo cada necessidade, acompanhamento em delegacias, IML (Instituto Médico Legal) e Fórum, monitoramentos de medidas protetivas, troca de informações com o Ministério Público via e-mail, ofício e telefone, visitas domiciliares e reuniões com ênfase no acolhimento e aproximação. “Somos a articulação entre os órgãos públicos, a população e as vítimas. Queremos, assim, dispor de um ambiente de acolhimento à mulher e oferecer políticas públicas e prestações de serviços necessárias para as vítimas, garantindo sua proteção. Temos como um dos nossos objetivos fazer com que todas as mulheres possam se sentir acolhidas”, ressalta Maria.

Entre os equipamentos que estão à disposição para os atendimentos no município estão seis Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), duas delegacias cidadãs, dois Centros de Atenção Psicossocial (CAPs) e 24 Unidades de Saúde.

O acompanhamento começa após a primeira manifestação e pedido de apoio. Neste momento são passadas as primeiras orientações. “Aconselhamos para que seja realizado o boletim de ocorrência, solicitando na sequência a Medida de Proteção de Urgência na delegacia”, explicou a Técnica de Referência do Atendimento às Mulheres e Assistente Social, Vanda de Assis. Logo após, são encaminhados os procedimentos aos Cartório, Fórum e Poder Judiciário. “Após o juiz ou juíza deferir a medida protetiva, a mulher é informada e o agressor notificado. Só então, o processo é repassado para o CREAS que segue com o acompanhamento da vítima”, concluiu Vanda.

Em caso de agressão contra a mulher ou o cidadão que se deparar com o fato, denuncie e colabore para o enfrentamento da violência contra as mulheres. Ligue para: Creas de Colombo – 3606.8855 / Polícia Militar do Paraná – 190 – Delegacia da Sede – 3656.8600 / Delegacia do Maracanã – 3605.6550.

Posts