Assistência Social explica atuação na pandemia em sessão da Câmara - Jornal de Colombo

Assistência Social explica atuação na pandemia em sessão da Câmara

Assistência Social explica atuação na pandemia em sessão da Câmara

Na última quarta-feira, 22, foi realizada mais uma sessão ordinária na Câmara Municipal de Colombo. Novamente, em razão da pandemia do coronavírus, as atividades legislativas não puderam contar com a presença da população colombense e foi transmitida pela internet. O principal momento da sessão foi a presença da secretária de Assistência Social, Maria da Silva

Na última quarta-feira, 22, foi realizada mais uma sessão ordinária na Câmara Municipal de Colombo. Novamente, em razão da pandemia do coronavírus, as atividades legislativas não puderam contar com a presença da população colombense e foi transmitida pela internet. O principal momento da sessão foi a presença da secretária de Assistência Social, Maria da Silva Souza, convidada para a Tribuna Livre. A dirigente utilizou o espaço para informar os vereadores e a sociedade local sobre a atuação da pasta no plano emergencial de Colombo contra a Covid-19.

De início, Maria explicou a realização de reordenamentos no orçamento da Secretaria de Assistência Social e a criação de um gabinete de crise junto à Defesa Civil do município para o combate à pandemia, que reúne uma série de procedimentos em conjunto com as secretarias municipais, instituições parceiras e sociedade civil organizada. Além disso, a secretária detalhou em números a quantidade de famílias e pessoas atendidas pela Assistência Social em Colombo. “Nosso público prioritário se compõe de 24.569 famílias do Cadastro Único, 8.760 famílias do Bolsa Família, 1.414 famílias da Família Paranaense, 541 crianças/adolescentes e 894 pessoas idosas no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, 120 famílias de catadores cadastradas nas associações e 400 famílias de catadores autônomos. Os nossos seis Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) foram divididos em doze núcleos setoriais da defesa civil (NUDEC), com o objetivo de atender a população do município e ser o canal de informação presencial”, disse durante a fala, destacando também os programas que reforçam a segurança alimentar e nutricional de pessoas em vulnerabilidade.

“O Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) voltado para as crianças, adolescentes e idosos estão recebendo o kit alimento e o kit alimento com verduras. O Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) fornece uma sacola com cinco quilos de verduras e legumes quinzenalmente e o programa Bolsa Verde oferece uma sacola com cinco quilos de alimentos semanalmente para os catadores. Temos o atendimento particularizado no CRAS que fornece orientações, encaminhamentos, benefícios eventuais e transferência de renda. O Programa Leite das Crianças oferece diariamente 1 litro de leite. Também contamos com o Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família que oferece atendimento particularizado e encaminhamento para a rede de proteção e o Programa Bolsa Família”, completou.

Assim como havia ocorrido na semana anterior, quando o secretário Antoninho Barth, dirigente da Saúde, falou na Tribuna Livre, a secretária Maria Souza também aproveitou o momento para sanar dúvidas dos parlamentares, explicando sobre a realização de outros serviços, como o CadÚnico e a capelania. “Quanto ao cadastro único ele é feito espontaneamente pelo público em épocas normais. Por esse cadastro conseguimos mapear as situações de vulnerabilidade. As famílias cadastradas já estão recebendo os benefícios, além das tarifas sociais de água e luz. Nosso município foi contemplado com 20 mil vales de auxílio mensal no valor de cinquenta reais para compra de alimentos que compõem a cesta básica para as pessoas mais vulneráveis. Os beneficiários poderão usar o cartão nos mercados credenciados. Referente à capelania, esse serviço conta com o apoio de diversos líderes religiosos. Temos contato direto com os padres das sete paróquias aqui do município. Há uma lista com mais de 50 pastores que já se prontificaram a ajudar. Esse serviço tem como objetivo ajudar as pessoas idosas que estão sofrendo com a solidão e o isolamento. Esse atendimento está sendo feito por oito psicólogos voluntários por meio telefônico”, disse.

Posts