20 anos de luto - Jornal de Colombo

20 anos de luto

Uma tragédia envolvendo milhares de pessoas no sequestro de avião mais famoso da história. Neste mês, o mundo relembra a data de 11 de setembro de 2001, o atentado terrorista que apavorou os Estados Unidos. Mas qual o real motivo do atentado? Para entender melhor, precisamos voltar para o ano de 1996, no Oriente Médio.

Uma tragédia envolvendo milhares de pessoas no sequestro de avião mais famoso da história. Neste mês, o mundo relembra a data de 11 de setembro de 2001, o atentado terrorista que apavorou os Estados Unidos. Mas qual o real motivo do atentado? Para entender melhor, precisamos voltar para o ano de 1996, no Oriente Médio.

Nessa época, Osama Bin Laden já era um fundamentalista radical e um terrorista perigoso localizado no Afeganistão, e já nutria ódio pelos Estados Unidos, mesmo tendo sido aliado no combate à antiga União Soviética, quando esta era uma das nações invasoras na história do país da Ásia Central. Já naquela época, o Iraque estava sofrendo um embargo comercial dos Estados Unidos em razão de supostas armas de destruição em massa, o que fez a economia deste outro país do Oriente Médio despencar. Além disso, havia muitos soldados americanos na Arábia Saudita, outra nação de maioria muçulmana e histórico aliado americano, para defender o país contra um possível ataque de Saddam Hussein, então líder do Iraque que havia iniciado uma guerra contra os árabes. Na visão de Bin Laden, que era saudita de nascimento, os Estados Unidos planejavam massacrar o povo iraquiano e transformar a Arábia Saudita em sua colônia. Com tudo isso acontecendo no mundo, ficou fácil para Bin Laden determinar qual país ele queria atacar.

Nos anos de 1995 e 1996, Osama Bin Laden emitiu duas FATWA (declaração oficial de um líder religioso). Na primeira, ele dizia que os americanos deveriam sair de lugares sagrados do islamismo, como a cidade de Meca, na Arábia Saudita, e na segunda ele autorizava a morte de americanos e judeus em qualquer lugar do mundo.

Com a guerra declarada, Bin Laden se preparou para executar um plano ousado: atacar os Estados Unidos em seu próprio território. Ele reaproveitou a ideia de usar aviões como armas de uma antiga tentativa de ataque terrorista que havia falhado e de início iria apenas financiar a operação, mas acabou se envolvendo inteiramente, ajudando a escolher o alvo e os terroristas que executariam o atentado. Foi assim que se iniciou o plano que culminou no dia 11 de setembro de 2001, quando dois aviões colidiram em alta velocidade com as Torres Gêmeas, ocasião que fez os Estados Unidos declararem guerra contra a Al-Qaeda e, principalmente, contra o terrorismo.

É importante ressaltar que o terrorismo e o fundamentalismo religioso são construídos na base do preconceito, então é nosso dever fazer justamente o contrário, respeitando nossas diferenças religiosas, sociais e políticas. De acordo com a Global Terrorism Database, os países que mais sofrem com o terrorismo são os do Oriente Médio, onde há milhares de muçulmanos que não compactuam com o terrorismo e que acabam sendo vítimas dele.

Arthur Sureki é estudante do IFPR Campus Colombo e faz parte do projeto História no Jornal, elaborado pelo Jornal de Colombo em parceria com o IFPR, com supervisão do prof. Tiago Dopke. 

Posts