Curitiba acata recomendação do TCE-PR e suspende licitação da Linha Verde - Jornal de Colombo

Curitiba acata recomendação do TCE-PR e suspende licitação da Linha Verde

Curitiba acata recomendação do TCE-PR e suspende licitação da Linha Verde

Após questionamentos da Coordenadoria de Obras Públicas da Corte, edital foi retirado para adequação, visando impedir questionamentos e eventuais novos atrasos na execução POR KAINAN LUCAS – JORNAL DE COLOMBO E a novela da Linha Verde parece que ganhou um novo capítulo, após o TCE-PR determinar que a Prefeitura de Curitiba suspendesse a licitação do

Após questionamentos da Coordenadoria de Obras Públicas da Corte, edital foi retirado para adequação, visando impedir questionamentos e eventuais novos atrasos na execução

POR KAINAN LUCAS – JORNAL DE COLOMBO

LINHA VERDE

Foto: Daniel Castellano

E a novela da Linha Verde parece que ganhou um novo capítulo, após o TCE-PR determinar que a Prefeitura de Curitiba suspendesse a licitação do Lote 4.1 da Linha Verde, no trecho entre os bairros Bacacheri e o Atuba que ocorreria nesta quarta-feira (04). De acordo com o Tribunal de Contas do Estado do Paraná, objetivo é evitar que o processo seja questionado no futuro, provocando ainda mais atrasos na execução da obra que já se arrasta por mais de 15 anos. Segundo o Tribunal, a decisão do município atendeu o Apontamento Preliminar de Acompanhamento (APA) emitido pela Coordenadoria de Obras Públicas do TCE-PR. A fiscalização da Linha Verde faz parte do Plano Anual de Fiscalização de 2022 do órgão.

Em entrevista ao Jornal de Colombo, o coordenador de Fiscalização de Obras Públicas do TCE-PR, Lincoln Andrade, afirmou que o objetivo do trabalho é para colaborar com o município. Pelo contrato original, a obra do Lote 4.1 deveria ter ficado pronta em dezembro de 2020, mas o consórcio abandonou o trabalho no final do ano passado, com apenas cerca de 20% concluídos.

Tráfego

Ainda de acordo com a recomendação, um dos pontos questionados pelo TCE-PR foi o Estudo de Tráfego, cuja validade se estendia apenas até 2020, estando provavelmente desatualizado pela Prefeitura de Curitiba. Foram solicitados também eventuais novos decretos de desapropriação, imissões de posse provisórias e definitivas, e eventuais novas plantas de desapropriação atualizadas, que comprovem não haver impedimentos para a retomada e conclusão das obras.

Foram solicitados ainda, dentre outros itens, memoriais descritivos atualizados, de acordo com as modificações promovidas nos projetos, que esclareçam que se trata de uma recontratação de remanescente de obras, indicando quais itens de serviços já foram executados, total ou parcialmente, nas contratações anteriores, e que defina quais são os serviços remanescentes necessários.

Obra

Os serviços de engenharia compreendem estruturas de concreto, terraplenagem, pavimentação, drenagem, paisagismo, obras complementares, sinalização viária, iluminação pública e adequação de rede (RDU), semaforização, estações Solar e Atuba, serviços preliminares, administração local, instalação do canteiro, ensaios, mobilização e desmobilização. As obras são executadas com recursos provenientes da Prefeitura e do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC-2) e do Programa Mobilidade Urbana e Trânsito, repassados por meio da Caixa.

O principal local de obras da Linha Verde, é a trincheira do Atuba, que está a anos sendo construída trazendo todos os dias centenas de problemas e transtornos para moradores e motoristas, além de engarrafar o trânsito durante o período. A região é o principal acesso para quem vem de Colombo, Quatro Barras e Campina Grande do Sul, além de Pinhais e até mesmo outros bairros da capital.

Kainan
EDITOR
PROFILE

Posts