Consumo de álcool é preocupante durante confinamento, alerta especialista - Jornal de Colombo

Consumo de álcool é preocupante durante confinamento, alerta especialista

Consumo de álcool é preocupante durante confinamento, alerta especialista

Em entrevista à Agência Brasil, a presidente da Associação Brasileira de Estudos do Álcool e Outras Drogas (Abead), Renata Brasil Araújo, alertou sobre os riscos do aumento do consumo de álcool durante o período de confinamento causado pela pandemia do novo coronavírus, especialmente em razão da violência doméstica e de feminicídios, constantemente ligados ao uso

Em entrevista à Agência Brasil, a presidente da Associação Brasileira de Estudos do Álcool e Outras Drogas (Abead), Renata Brasil Araújo, alertou sobre os riscos do aumento do consumo de álcool durante o período de confinamento causado pela pandemia do novo coronavírus, especialmente em razão da violência doméstica e de feminicídios, constantemente ligados ao uso abusivo do álcool. 

A especialista explicou que a bebida diminui a ativação do lobo pré-frontal, uma área que controla a nossa euforia e impulsividade. “Como essa parte do freio do cérebro não está funcionando muito bem, a pessoa fica mais impulsiva, mais intolerante. Se houver intervenção de alguém da família no sentido de parar de beber, isso por si só já gera um descontentamento e uma reação”, afirmou. A preocupação também é compartilhada pela Organização Mundial da Saúde, que se manifestou em seu site oficial. “O álcool não protege contra a covid-19, o acesso deve ser restrito durante o confinamento”. 

Outro ponto abordado pela especialista tem a ver com a dependência química, que pode piorar naqueles que já são adictos, pela dificuldade no acesso ao tratamento neste momento, e também os que ainda não sofrem com problemas similares. “Aquelas pessoas que já têm uma vulnerabilidade biológica e uma predisposição genética para o alcoolismo, junto com uma capacidade emocional mais frágil, estão mais suscetíveis a seguirem bebendo após a quarentena e se transformarem em dependentes do álcool, sim”.

A Abead lançou a campanha educacional #sejaluz, que orienta a respeito dos cuidados com o álcool, com o tabaco e outras drogas nessa fase de quarentena além de promover um trabalho voluntário com psiquiatras associados para atender, gratuitamente, até o próximo dia 26, dependentes químicos e seus familiares, pelas redes sociais. O foco são as pessoas de baixa renda que não teriam acesso a tratamento no curto prazo e que na ação recebem orientação em casa. O serviço pode ser acessado pelo Facebook ou Instagram da associação, ou pelo número de 'Whatsapp': 51-980536208, pelo qual as pessoas podem marcar consulta e recebem o telefone do terapeuta, psicólogo ou psiquiatra. O atendimento é diário, das 8h às 22h.

Posts