Brasil testa nova vacina contra o novo coronavírus - Jornal de Colombo

Brasil testa nova vacina contra o novo coronavírus

Brasil testa nova vacina contra o novo coronavírus

O Brasil deu início nesta terça-feira, 21, aos testes de uma vacina contra o novo coronavírus. Nove mil voluntários de cinco estados brasileiros e do Distrito Federal vão participar. Os voluntários são profissionais de saúde que trabalham no atendimento a pacientes com Covid-19. Vinte mil doses do medicamento chegaram a São Paulo nesta segunda-feira, 20.

O Brasil deu início nesta terça-feira, 21, aos testes de uma vacina contra o novo coronavírus. Nove mil voluntários de cinco estados brasileiros e do Distrito Federal vão participar. Os voluntários são profissionais de saúde que trabalham no atendimento a pacientes com Covid-19. Vinte mil doses do medicamento chegaram a São Paulo nesta segunda-feira, 20.

Esta vacina é uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo com a farmacêutica chinesa Sinovac Biotech. No início do mês, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou o Instituto Butantan, também parte da parceria, a iniciar a fase três dos ensaios clínicos para testar a eficácia e a segurança da vacina chamada Coronavac. Este é o segundo teste da vacina contra o novo coronavírus autorizado pela Anvisa. O primeiro foi um ensaio clínico da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, para prevenir a Covid-19.

 “Se esse estudo de fato for concluído antes do final desse ano, e é uma expectativa real, poderemos ter essa vacina disponível para a população brasileira já no início do próximo ano”, disse Dimas Covas, diretor do instituto. “Esse estudo clínico deverá ser concluído o mais rapidamente possível. Estamos trabalhando intensamente com 12 centros. O fato de existir uma grande procura vai ajudar a incluir esses voluntários muito rapidamente”, completou.

Se o resultado dos testes for positivo, o Instituto Butantan, que coordena a pesquisa no Brasil, vai receber da Sinovac, até o fim do ano, 60 milhões de doses para distribuição. O Instituto está adaptando uma fábrica para a produção da vacina que poderá começar a funcionar no início do próximo ano. A capacidade de fabricação é de cerca de 100 milhões de doses.

Posts