Vacinação é esperança para Colombo - Jornal de Colombo

Vacinação é esperança para Colombo

Vacinação é esperança para Colombo

O aniversário de 131 anos de Colombo, certamente, é o mais diferente de todos os outros, afinal, a pandemia não permitiu comemorações adequadas. Mas este também deve ser o aniversário do município em que o sentimento de esperança por um futuro melhor prevaleceu. Faz quinze dias que a vacinação contra a Covid-19 foi iniciada oficialmente

O aniversário de 131 anos de Colombo, certamente, é o mais diferente de todos os outros, afinal, a pandemia não permitiu comemorações adequadas. Mas este também deve ser o aniversário do município em que o sentimento de esperança por um futuro melhor prevaleceu. Faz quinze dias que a vacinação contra a Covid-19 foi iniciada oficialmente no município. No dia 20 de janeiro, foram aplicadas as primeiras doses em profissionais de Saúde de Colombo, que estão trabalhando na linha de frente de combate à pandemia. De lá para cá, segundo números oficiais da Prefeitura Municipal, foram imunizados 1.583 colombenses. É bem verdade que a imunização está andando a passos tímidos. Apenas 0,6% da população da cidade recebeu a primeira dose da vacina. Mas o avanço para uma vacinação em massa não depende apenas dos esforços do município, muito pelo contrário.  

Na quarta-feira, 3, o Governo do Estado deu início ao envio de mais doses da CoronaVac. Serão distribuídas 132.779 doses da vacina CoronaVac, produzida em parceria com o Instituto Butantan, para a aplicação da segunda dose nas pessoas que já receberam a primeira dose da imunização. O secretário estadual da Saúde, Beto Preto, destacou que a segunda dose é importante para garantir a eficácia da vacina e a proteção da população. “Estamos distribuindo de maneira organizada e muito segura a segunda dose da CovonaVac às nossas 22 Regionais, que estão organizando a logística de encaminhamento aos municípios”, disse. “Contamos com a boa conduta de todos para a aplicação ágil dessas doses”, acrescentou. 

O dirigente também ressaltou a necessidade de otimizar a aplicação da segunda dose, para ampliar a proteção vacinal. “O Estado está fazendo a sua parte no que se refere ao armazenamento, transporte das vacinas e ao fornecimento dos insumos para a aplicação. Precisamos do apoio de todos os municípios para agilizar a aplicação dessas novas doses e avançar mais um passo”, completou. 

Até a última terça-feira, 2, foram vacinadas no Paraná 158.780 pessoas com a primeira dose, o que representa 45% das doses encaminhadas pelo Ministério da Saúde, deixando o Paraná  como líder do ranking de vacinação entre as unidades da federação. “O Paraná está acostumado a vacinar, tem experiência. São 1.850 salas de imunização à disposição da população, estrutura que está aliada a um ágil serviço de distribuição, com o uso de caminhões e aeronaves para facilitar a logística. Somos referência para o País”, afirmou o governador Ratinho Junior. “Ainda não vencemos a pandemia, estamos vencendo uma parte dessa guerra contra o coronavírus”, completou. 

Posts