Paraná vai apresentar nova edição do plano estadual para promoção da igualdade racial - Jornal de Colombo

Paraná vai apresentar nova edição do plano estadual para promoção da igualdade racial

Paraná vai apresentar nova edição do plano estadual para promoção da igualdade racial

A Secretaria estadual da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf) e o Conselho Estadual para a Igualdade Racial (Consepir) apresentam nesta sexta-feira, 19, a nova edição do Plano Estadual de Políticas para Promoção da Igualdade Racial do Paraná. O evento será às 13h30, no Salão de Atos do Palácio Iguaçu, com abertura pelo Coral Negro de

A Secretaria estadual da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf) e o Conselho Estadual para a Igualdade Racial (Consepir) apresentam nesta sexta-feira, 19, a nova edição do Plano Estadual de Políticas para Promoção da Igualdade Racial do Paraná. O evento será às 13h30, no Salão de Atos do Palácio Iguaçu, com abertura pelo Coral Negro de Curitiba Pastoral Negra.

O documento traz orientações e metas do governo para as políticas de combate ao racismo e à discriminação. “Temos que fazer um trabalho de conscientização, esclarecimento e educação contra essa chaga, que não deveria jamais ter existido e tem que ser extirpada da nossa sociedade”, afirmou o secretário Ney Leprevost.

O primeiro plano esteve em vigor de 2017 a 2019 e a nova versão, de acordo com o Conselho Estadual para a Igualdade Racial (Consepir), complementa as ações desenvolvidas anteriormente e estabelece novos objetivos no combate ao preconceito. “O plano é o resultado de ideias conjuntas do governo e da sociedade civil para colocar em prática uma série de medidas que ajudam a combater o racismo e o preconceito”, disse o presidente do Consepir, Saul Dorval da Silva. 

Canal de denúncias

Além de ações educativas, a denúncia também é uma das armas contra o racismo. Atualmente, a Sejuf tem um canal de denúncias, o SOS Racismo, pelo telefone 0800 642 0345 ou pelo email sosracismo@sejuf.pr.gov.br. Através destes canais o denunciante será orientado sobre como juntar provas para fazer a queixa. “A primeira atitude é ter em mãos todos os dados referentes à ação. A pessoa lesada precisa salvar tudo que puder colaborar na comprovação do crime”, destaca Leprevost. “O canal de denúncias é importante, mas o principal é o amadurecimento da própria sociedade”, afirma Saul Dorval.

Posts