Paraná tem 106 casos de dengue e o primeiro caso de Zíka Vírus – Jornal de Colombo

Paraná tem 106 casos de dengue e o primeiro caso de Zíka Vírus

Paraná tem 106 casos de dengue e o primeiro caso de Zíka Vírus

A Secretaria de Estado da Saúde (SESA) divulgou nesta terça-feira, 24, o boletim da dengue. O documento registra 106 novos casos da doença no Paraná, totalizando 1.060 casos confirmados no atual período epidemiológico, que começou em agosto e segue até o final de julho de 2021.  Além disso, também foi registrado o primeiro caso de

A Secretaria de Estado da Saúde (SESA) divulgou nesta terça-feira, 24, o boletim da dengue. O documento registra 106 novos casos da doença no Paraná, totalizando 1.060 casos confirmados no atual período epidemiológico, que começou em agosto e segue até o final de julho de 2021. 

Além disso, também foi registrado o primeiro caso de Zika Vírus do período, no município de Cambé (Norte). A doença é igualmente transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, o mesmo da dengue, e que também transmite a febre chikungunya.

Atualmente, a SESA tem promovido a capacitação de profissionais para atuação integrada no diagnóstico e manejo das doenças nas áreas da Atenção Primária e da Urgência e Emergência. “Estes profissionais são os responsáveis pelo primeiro contato com o usuário do sistema de saúde e, com o trabalho integrado, pretendemos mais agilidade na identificação da doença e tratamento do paciente, evitando óbitos”, afirmou o secretário Beto Preto.

A capacitação e atualização dos profissionais acontece por meio de webconferências e seguirá até o dia 3 de dezembro alcançando trabalhadores que atuam em serviços do Estado e dos municípios. Até o momento foram registradas 790 conexões em tempo real durante os eventos online e 5.109 visualizações para o conteúdo que está disponível na página da Secretaria da Saúde no youtube.

O secretário Beto Preto reforçou ainda a importância da participação da população no enfrentamento da dengue. “Combater a dengue é um compromisso coletivo e a população precisa participar, eliminando os criadouros nos domicílios e nas áreas próximas. Lembremos que cerca de 90% dos focos estão nestes ambientes”, disse.

 

Posts