Indústria paranaense cresce 17,9% em 2021 - Jornal de Colombo

Indústria paranaense cresce 17,9% em 2021

Indústria paranaense cresce 17,9% em 2021

Segundo a Pesquisa Industrial Mensal – Regional (PIM-PF-REGIONAL), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e divulgada nesta quarta-feira, 11 de agosto, a indústria paranaense registrou um crescimento de 17,9% no primeiro semestre deste ano, em comparação com o mesmo período de 2020. O índice do Estado ficou acima do registrado por toda

Segundo a Pesquisa Industrial Mensal – Regional (PIM-PF-REGIONAL), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e divulgada nesta quarta-feira, 11 de agosto, a indústria paranaense registrou um crescimento de 17,9% no primeiro semestre deste ano, em comparação com o mesmo período de 2020. O índice do Estado ficou acima do registrado por toda a indústria nacional, que cresceu 12,9%.

No acumulado dos últimos doze meses (julho de 2020 a junho de 2021), o Paraná teve crescimento de 9,8% em relação ao período exatamente anterior (junho de 2019 a julho de 2020). No comparativo com junho do ano passado, o crescimento foi de 8,2%, e em relação ao mês anterior (maio de 2021), houve queda de 5,7%, acompanhando tendência que atingiu outros nove estados brasileiros.

Na última média trimestral, o Paraná também apontou redução, de 3,5%. Segundo o IBGE, as principais influências negativas nos meses recentes foram puxadas pelos baixos desempenhos do setor de veículos e do setor de derivados do petróleo, importantes para a matriz econômica estadual. O Estado ainda não atingiu os índices pré-pandemia na indústria, na série com ajuste sazonal.

Os principais setores que contribuíram para o resultado positivo foram a indústria de transformação (evolução de 17,9%), fabricação de bebidas (14,9%), produtos de madeira (53,3%), produtos de borracha e material plástico (14,7%), produtos de minerais não-metálicos (29,9%), produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos (38,5%), máquinas e equipamentos (83,5%), móveis (28,4%) e veículos (53,1%). Na variação mensal (junho de 2020 e junho de 2021), os motores foram indústria de transformação (8,2%), fabricação de bebidas (7,8%), produtos de madeira (31,4%), produtos minerais não-metálicos (19%), veículos (50%), máquinas e equipamentos (87,3%) e produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos (24,9%).

Posts