Ronaldinho concede primeira entrevista após prisão no Paraguai - Jornal de Colombo

Ronaldinho concede primeira entrevista após prisão no Paraguai

Ronaldinho concede primeira entrevista após prisão no Paraguai

O ex-craque brasileiro Ronaldinho Gaúcho, que está em prisão domiciliar em um hotel na cidade de Assunção, capital do Paraguai, pelo uso de documentos falsos para entrar na país, concedeu neste final de semana sua primeira entrevista após o período de cárcere que passou no país vizinho. Ao jornal local ABC Color, o ex-meia de

O ex-craque brasileiro Ronaldinho Gaúcho, que está em prisão domiciliar em um hotel na cidade de Assunção, capital do Paraguai, pelo uso de documentos falsos para entrar na país, concedeu neste final de semana sua primeira entrevista após o período de cárcere que passou no país vizinho. Ao jornal local ABC Color, o ex-meia de Seleção Brasileira, Grêmio, Barcelona, Milan, Flamengo e Atlético Mineiro se mostrou muito tranquilo, mas destacou que foi uma situação pela qual não imaginava passar. “Desde que isso aconteceu, a intenção foi colaborar com a Justiça para esclarecer isso. Até hoje, explicamos tudo e facilitamos o que a Justiça nos solicitou. Foi duro, nunca imaginei que fosse passar por uma situação assim”, disse Ronaldinho. O ídolo foi preso junto do irmão, o também ex-jogador Roberto de Assis Moreira. Confiante, Ronaldinho explicou que foi ao país para o lançamento de um cassino on-line e do livro “Craque da Vida”.

Segundo Ronaldinho, tudo o que faz é em razão de contratos geridos por Assis e que que se sentiu surpreso com a detenção. Outro fato comentado por Ronaldinho foi o período em que passou em um presídio de segurança máxima no Paraguai. Mesmo em cárcere, o jogador participou de diversas atividades esportivas, tirou fotos com policiais e parte da equipe do presídio e mandou vídeos para a família de colegas presidiários. Todas as pessoas que tive a oportunidade de compartilhar me receberam com amabilidade. Jogar futebol, dar autógrafos, tirar fotos, é parte da minha vida. Não havia nenhum motivo para não fazer isso, ainda mais com pessoas que estavam vivendo um momento difícil como eu”, afirmou.

Agora, Ronaldinho e o irmão permanecem em prisão domiciliar até o fim das investigações. “Esperamos que possam confirmar tudo o que declaramos sobre nossa posição no caso e que possamos sair dessa situação o mais breve possível. A primeira coisa que farei (quando voltar) é dar um beijo em minha mãe. Ela vive dias difíceis desde o início da pandemia de covid-19 em casa. Depois, será absorver o impacto que essa situação gerou e seguir adiante”, completou. 

Posts