Sindicado dos servidores do INSS diz que greve não tem data para acabar; Paralisação chega a 40 dias - Jornal de Colombo

Sindicado dos servidores do INSS diz que greve não tem data para acabar; Paralisação chega a 40 dias

POR KAINAN LUCAS – JORNAL DE COLOMBO O Sindicato dos servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) informou que a greve organizada pelos funcionários não tem data para se encerrar. A manifestação dos servidores chegou hoje a 40 dias, afetando o atendimento ao público em todo o Brasil. Na região de Curitiba as agências

POR KAINAN LUCAS – JORNAL DE COLOMBO

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Sindicato dos servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) informou que a greve organizada pelos funcionários não tem data para se encerrar. A manifestação dos servidores chegou hoje a 40 dias, afetando o atendimento ao público em todo o Brasil.

Na região de Curitiba as agências estão funcionando com quadro reduzido o que está causando muitos transtornos e filas intermináveis nos locais de atendimento ao público. De acordo com o diretor do Sindicato dos Servidores Públicos Federais em Saúde, Trabalho Previdência Social e Ação Social (SINDISPREV/PR), Nelson Malinoski, a situação no pontos de atendimento está complicado, em entrevista a Rádio Banda B, ele falou sobre a situação e descartou qualquer possibilidade de retorno imediato. Além disso, ele destacou como estão os atendimentos em diversas cidades do estado.

O Nelson Malinoski ainda disse que a não resposta do governo federal sobre as reivindicações é o motivo que leva a greve a continuar por tempo indeterminado. O sindicato pede um reajuste de 19,99%, que é referente a perdas inflacionárias dos últimos três anos (2019, 2020 e 2021), a categoria também pede melhoras nas condições de trabalho e a realização de concurso público para recomposição da força de trabalho.

“Lamentavelmente, a gente percebe uma insensibilidade do governo com questões tão importantes como o caso dos servidores do INSS. O INSS está ficando cada vez pior (…). A questão principal é de que o reajuste não acontece há cinco anos e até os 5%, tão anunciado como foi, ainda não se concretizou e nem sabemos se será concretizado”, disse Nelson a Banda B.

A manifestação começou no dia 23 de fevereiro, e foi aderida em todo o Brasil.

Na cidade de Curitiba, a Sindiprevis que lidera o movimento, informou que a paralisação acontece também em outras cidades do Paraná. Malinoski disse que servidores da cidade de Guarapuava, situada no Centro-Sul do Paraná, e cidades da Região Metropolitana de Curitiba (RMC), como Araucária e Campo Largo, aderiram ao movimento nesta quarta (2).

 

COMO ESTÁ O ATENDIMENTO NAS AGÊNCIAS

 

De acordo com o INSS, a maioria dos atendimentos está sendo realizado pelo aplicativo Meu INSS e pelo número 135, via telefone. Por causa da greve, a orientação dos servidores é que o público busque informações por estes canais de comunicação.

As perícias médicas, por sua vez, são feitas nas agências em que podem ser marcadas. Malinoski também falou sobre a situação.

“O problema é que muitas vezes existe uma demora para finalizar aquilo que foi pedido. Como eu disse, são dois milhões de pedidos que estão aguardando solução, análise e finalização, e isto tem levado até alguns meses para ser encerrado. Mas, o funcionamento das agências, algumas continuam abertas”, revelou a Banda B.

 

Nota oficial – INSS

O Jornal de Colombo entrou em contato com o INSS para se posicionar sobre a greve dos servidores, e o órgão disse que não está se manifestando sobre a greve, nem mesmo sobre o atendimento nas agências

Kainan
EDITOR
PROFILE

Posts