Teatro de Comédia do Paraná estreia em março - Jornal de Colombo

Teatro de Comédia do Paraná estreia em março

Teatro de Comédia do Paraná estreia em março

A edição 2020 do Teatro de Comédia do Paraná traz o diretor Rodrigo Portella para dirigir uma peça norte-americana finalista do Pulitzer em 2018. Portella é um dos mais renomados dramaturgos de sua geração, com mais de 150 premiações, incluindo o prêmio Shell de melhor direção. O texto escolhido para o TCP 2020 é TodoMundo!

A edição 2020 do Teatro de Comédia do Paraná traz o diretor Rodrigo Portella para dirigir uma peça norte-americana finalista do Pulitzer em 2018. Portella é um dos mais renomados dramaturgos de sua geração, com mais de 150 premiações, incluindo o prêmio Shell de melhor direção. O texto escolhido para o TCP 2020 é TodoMundo! (Everybody), de Branden Jacobs-Jenkins, em que Deus pede uma inesperada prestação de contas e um balanço de como as pessoas passaram seu tempo na terra.

A peça estreia em março, durante o Festival de Teatro de Curitiba. O TCP é uma iniciativa do Centro Cultural Teatro Guaíra, da Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura e do Governo do Paraná.

TodoMundo!, com montagem inédita no Brasil, é inspirada em uma forma de teatro medieval e os atores são escolhidos para interpretar os personagens por meio de um sorteio ao vivo. Na trama, Deus está insatisfeito coma humanidade e ordena que sua assistente, a Morte, busque TodoMundo para prestar contas. Durante o percurso, entre sonhos e memórias, o personagem se dá conta de que está morrendo.

Monica Rischbieter, diretora-presidente do CCTG, explica que a escolha de Portella e do texto de Jacobs-Jenkins seguem a tradição do TCP em apresentar peças que se tornaram marcos na história do teatro paranaense. “O TCP consagrou grandes nomes da dramaturgia, como Paulo Goulart e Lala Schneider. Acreditamos que o investimento feito agora pelo Governo do Estado será uma nova referência na arte paranaense. É uma peça para todos os públicos, que discute os dilemas da vida de uma forma divertida e, ao mesmo tempo, profunda”, diz Monica.

Para Rodrigo Portella, a obra tem conflitos e temas atuais. “Sabemos que se um plano de salvação não for urgentemente colocado em prática, nossa vida na terra estará comprometida muito em breve. E, para mim, é exatamente sobre isso que a peça fala: nós passamos por aqui tão distraídos, tão preocupados com nossa pequena existência, que esquecemos que a vida aqui é só uma breve passagem”.

Foto – Maringas Maciel

Posts