Restrições à igrejas são mantidas em Colombo - Jornal de Colombo

Restrições à igrejas são mantidas em Colombo

Restrições à igrejas são mantidas em Colombo

Na última semana, a Prefeitura de Colombo emitiu o decreto de nº 052/2020, alterando a regulamentação de estabelecimentos diversos em razão da pandemia do novo coronavírus. Na ocasião, ficou permitido que estabelecimentos comerciais em geral e shoppings pudessem reabrir aos sábados, ainda que nos domingos a restrição permanecesse por mais quinze dias. A decisão não

Na última semana, a Prefeitura de Colombo emitiu o decreto de nº 052/2020, alterando a regulamentação de estabelecimentos diversos em razão da pandemia do novo coronavírus. Na ocasião, ficou permitido que estabelecimentos comerciais em geral e shoppings pudessem reabrir aos sábados, ainda que nos domingos a restrição permanecesse por mais quinze dias. A decisão não contemplou as igrejas, que permanecem tendo que seguir medidas mais restritivas, sem a possibilidade de fazer cultos presenciais no fim de semana. “Esta semana, nós aguardávamos da Prefeitura Municipal um pouco mais de abertura nas nossas práticas, nos nossos cultos. Foi nos adiantado, inclusive, que assim seria. Por isso nós enviamos, inclusive, um vídeo alertando a Igreja que no final de semana já poderíamos nos reunir em todos os nossos templos a 30%”, comentou o pastor presidente da Assembleia de Deus Colombo Missão Integral (ADCMI), Carlos Eduardo Neres Lourenço, em vídeo veiculado nas redes sociais da igreja. “Na sexta-feira tomamos conhecimento do decreto de número 52, que determinou que nós voltássemos ao estágio anterior, de cultos apenas de segunda a sexta, com 30% da capacidade e nos finais de semana, apenas lives. Eu faço questão de registrar, pela transparência que tenho com a Igreja, que não vejo racionalidade nessa decisão. Em Curitiba, as igrejas já estão funcionando, inclusive aos finais de semana. Mas nós vamos respeitar, como cristãos que somos”, declarou.

No vídeo, o pastor fez outras declarações em protesto à decisão. “Eu sempre disse à Igreja que, quando as autoridades acertam, eu elogio e quando erram, eu denuncio. Não tenho compromisso absolutamente nenhum, com nenhuma autoridade. Meu compromisso é com Deus e com o Senhor”. O pastor Carlos Eduardo também rechaçou o estigma de ‘negacionista’ que os religiosos costumam receber. “Não sou negacionista, anticientificista. Pelo contrário. Também sou um estudioso, um acadêmico, tenho autoridade para falar o que estou falando. Estou simplesmente dizendo aquilo que não está correto. Respeito a enfermidade, sei que ela é grave e séria. Temos irmãos do nosso meio que já tiveram suas vidas ceifadas devido à enfermidade. Temos pastores nossos ainda em processo de recuperação”, declarou.

“Tenho respeito e amizade pelos nosso governantes. Louvo, inclusive aqui, publicamente, que sempre me respeitaram, acolheram e dialogaram comigo. Porém, esta decisão não é boa e estou deixando isso muito claro”, encerrou.

Posts